Quais exames devem ser feitos num exame admissional?

Medicina do trabalho
22 de Junho de 2017.

Sempre nos questionam quais exames devem ser feitos num exame admissional, e quando esse exame deve ser feito.Segundo a Norma Regulamentadora de número 7 (NR7), o exame clínico admissional e seus exames complementares (se necessário), devem estar contidos no programa de saúde da empresa (PCMSO). Além disso, a NR7 determina que o exame admissional seja realizado antes da admissão do empregado (NR7 – item 7.4.3.1).

Como sempre dizemos, os exames ocupacionais (admissional, periódico, mudança de função, retorno ao trabalho e demissional) são determinados por um programa de saúde, chamado PCMSO. Esse programa, desenhado exclusivamente por um médico do trabalho, é baseado nos riscos presentes no ambiente de trabalho da empresa, nos seus diversos setores e funções, e tem como meta a prevenção das doenças e a promoção da saúde da população da empresa.

Então, de maneira prática, todo o processo se inicia com a visita do médico do trabalho e do engenheiro de segurança do trabalho na empresa, com o intuito de conhecer todos os ambientes, processos, funções, características inerentes daquela população e, principalmente, os riscos envolvidos no ambiente da empresa.

Depois de conhecerem a empresa e da análise dos riscos envolvidos no empreendimento, o engenheiro produzirá um programa dos riscos da empresa (PPRA), que será a ferramenta de confecção do programa de saúde (PCMSO) pelo médico do trabalho.O médico do trabalho recebe a análise dos riscos, e desenha um programa de saúde (PCMSO), determinando a periodicidade dos exames ocupacionais (admissional, periódico, mudança de função, retorno ao trabalho e demissional), e os exames complementares para cada função da empresa.

Veja que citamos o termo exames clínico e complementares para uma determinada função, pois para a medicina do trabalho, a função que o empregado exerce é extremamente importante, e só com o seu profundo conhecimento é que poderá ser desenvolvido um programa de saúde (PCMSO) de qualidade para e empresa, e com isso, diminuir o absenteísmo, as doenças (inclusive as relacionadas ao trabalho), os acidentes de trabalho e, de fato,  promover a saúde dentro do empreendimento, melhorando a rentabilidade da empresa. Em resumo, portanto, todos os exames ocupacionais são frutos de uma longa jornada, e só podem existir dentro do PCMSO.

É o PCMSO que determinará quais exames seus funcionários farão nos seus exames pré-admissionais, sendo impossível realizar exame admissional de forma isolada e sem conexão com um PCMSO, o vulgarmente chamado “ASO avulso”, tão comum em nosso país, que é ilegal.   

Fluxo do Exame Ocupacional

media-20170622.png

Sendo assim, os exames complementares de um exame admissional serão desenhados pelo PCMSO de forma específica para cada função, para cada empresa. Ou seja, candidatos a funcionários da mesma empresa, executarão exames diferentes. 

Exemplos:

1-  Exame admissional para a função de Porteiro da Indústria Metalúrgica X, deverá, segundo o PCMSO desenhado pelo médico do trabalho daquela empresa, executar apenas o exame clínico e a audiometria.2-  Exame admissional para a função de Operador de Ponte Rolante da Indústria Metalúrgica X, ou seja, mesma empresa citada acima, segundo o PCMSO, executará o exame clínico, audiometria, raios-x de tórax, espirometria, acuidade visual, glicemia de jejum, eletrocardiograma e eletroencefalograma.Pudemos observar que o exame admissional muda a depender da função a ser exercida pelo candidato a funcionário da empresa.

Mas por que os exames complementares mudam a depender da função?

Quando falamos em exames complementares, independente da especialidade médica, temos que falar em indicação, ou seja, todo exame complementar (hemograma, eletrocardiograma, raios-x, etc.) tem uma determinada indicação, e não pode ser aplicado e solicitado sem um fim, apenas por um pedido deste ou daquele.

Um termo muito comum na medicina, que explica tal situação, cada vez mais comum no Brasil é a seguinte: “quem não sabe o que quer, quando encontra, não sabe o que fazer”. Pedir exame complementar sem uma definida indicação é, no mínimo, desperdício de dinheiro com a gestão ocupacional.

New Call-to-action

Sendo assim, o exame complementar muda ou é retirado, pois o exame é necessário para confirmar ou afastar uma doença ou afecção que pode agravar, no exercício daquela função.

As diferenças entre os exames para cada função, evitam o surgimento de outra doença,  e ainda, pretendem diagnosticar doença prévia adquirida noutro estabelecimento, demonstrar propensão para o desenvolvimento de determinada doença, em virtude dos riscos presentes naquela determinada função, ou até de diagnosticar malformação  ou deficiência física, mental, visual, auditiva ou múltipla, em função que exige plena capacidade física.

Exemplo:

3-  Exame pré-admissional para a função de Motorista carreteiro de empresa Y, determina que o candidato execute o exame clínico, avaliação oftalmológica e acuidade visual, glicemia de jejum, eletrocardiograma, eletroencefalograma e audiometria.

Apenas para o entendimento, de maneira simples, entre outros fins, a avaliação oftalmológica e acuidade visual foram solicitadas para identificar uma possível perda visual completa ou incompleta do candidato. Fica óbvio nesse exemplo que é necessário para que se execute a função de Motorista Carreteiro, que se possua uma visão normal.

Esperamos que após a leitura do texto, o empregador entenda a real necessidade do PCMSO e sua ligação com o exame admissional, além das diversas diferenças do exame de saúde ocupacional para cada função na mesma empresa.Lembre-se que exame admissional “avulso” (“ASO avulso”) não existe e é ilegal.

Gostou do nosso post? Assine nossa newsletter.

Comentários