Perda auditiva induzida por ruído e insalubridade

perda-auditiva-ruido.jpg

Você conhece a Perda Auditiva Induzida por Ruído? 


A Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR) é a diminuição da audição decorrente da exposição contínua ao ruído no exercício do trabalho, e que tem como característica ser gradual e irreversível.

Somente o ruído causa a perda auditiva?

O ruído não é o único causador da perda auditiva, que pode estar correlacionada aos agentes químicos, biológicos e outros agentes físicos, que citaremos abaixo:

1- Agentes químicos causadores da perda auditiva: solventes (tolueno, dissulfeto de carbono), fumos metálicos, gases asfixiantes (monóxido de carbono), etc.;

2- Outros agentes físicos que não o ruído: radiações, vibração e o calor;

3- Agentes biológicos: vírus, bactérias, etc.

Ainda podemos citar diversos fatores metabólicos, medicamentos e fatores genéticos que levam a perda auditiva, ou que podem estar associados a perda auditiva.

Quais os sintomas da Perda Auditiva?

A perda auditiva pode apresentar tinidos, zumbidos, cefaléia, tontura, dificuldade de escutar o barulho do relógio ou a voz dos familiares e a surdez completa. Além disso, o empregado/paciente pode apresentar alterações psiquiátricas, problemas digestivos entre outros.


Como fazer o controle e a monitorização da audição dos funcionários?

Primeiramente, o médico do trabalho deverá visitar e analisar os riscos presentes no ambiente de trabalho e desenhar um programa de saúde (PCMSO) que tem o intuito da prevenção das doenças ocupacionais e não ocupacionais dos funcionários no empreendimento.


Ao identificar a presença do risco ruído na empresa, por exemplo, o médico do trabalho determinará que os empregados façam exames clínicos e complementares para controle, monitorização e diagnóstico das diversas doenças, e um dos exames mais importantes para essa função é a audiometria, que será realizado pelo fonoaudiólogo.


É muito importante lembrar que um fonoaudiólogo experiente e bem treinado é o fator de mudança na execução do exame audiométrico, contribuindo sobremaneira no diagnóstico das perdas auditivas e na diminuição dos custos com exames pela empresa.

Mas qual nível de ruído pode causar a PAIR?

Após diversos estudos sobre a perda auditiva, estipularam como regra geral numa jornada de oito horas de trabalho, a exposição ao ruído contínuo de 85 decibéis. No caso do ruído de impacto, que geralmente tem duração menor que 1 segundo, o limite é de 120 decibéis, de forma pontual. Ou seja, o empregado poderá ficar exposto a até 85 decibéis durante as 8 horas da jornada de trabalho, que não haverá a perda auditiva.

Ruído e a insalubridade

A Norma Regulamentadora de número 15 (NR15) regula as atividades e operações insalubres, determinando que empregados expostos a determinado nível de ruído por determinado tempo de exposição, receberão ou não o adicional de insalubridade.


Vamos imaginar o exemplo de um grupo de empregados de uma indústria que estão expostos a 85 dB numa jornada de 8 horas. Nesse caso, a empresa não precisará arcar com o adicional de insalubridade, pois a exposição não está caracterizada como atividade insalubre pela NR15.


Como caracterizar a insalubridade?

Para a caracterização de atividade insalubre na empresa ou ausência de insalubridade, é necessário a confecção de um laudo de insalubridade confeccionado exclusivamente pelo engenheiro do trabalho ou médico do trabalho devidamente habilitado. Além disso, para a devida confecção do laudo, será necessário medir o nível de ruído na jornada de trabalho dos empregados em cada setor da empresa, processo chamado de dosimetria de ruído, e analisar todos os equipamentos de proteção individual (EPI) e equipamentos de proteção coletiva (EPC) presentes no ambiente da empresa, para entender a qual nível de ruído os empregados estão presentes.

Formas de Prevenção

A prevenção deve ser feita através da análise do engenheiro do trabalho e do médico do trabalho, que atuarão na melhoria das condições dos ambientes de trabalho da empresa e da saúde dos funcionários expostos.

A eliminação ou a redução do ruído é importante na prevenção da perda auditiva e de inúmeras outras repercussões sobre o organismo humano. O melhor a se fazer seria atuar na fase inicial do projeto de instalação do empreendimento, evitando, portanto, o ruído na sua fonte.
Algumas medidas podem ser adotadas pelo empregador para diminuir a exposição ao ruído, ou para melhorar a qualidade de vida dos empregados, são elas:

1- Informar ao funcionário sobre as formas da perda auditiva e de prevenção da progressão de quadros já instalados;
2- Orientação quanto a importância do uso do EPI, buscando conhecer as queixas mais frequentes e as razões que levam ao abandono do seu uso ou à sua não utilização;
3- Informação sobre o quadro inicial da perda auditiva;
4- Informar aos familiares acerca das características da doença;
Se o empregado já possui um grau de perda auditiva, deverá ser encaminhado para avaliação médica para a indicação de aparelho de amplificação auditiva.

Além disso, o médico do trabalho da empresa deverá desenvolver um programa de conservação auditiva (PCA), que será abordado noutra oportunidade.

 

New Call-to-action

 

Compartilhe agora na sua rede preferida

Sobre a Healthwork

A Healthwork nasceu em 1995 com o compromisso de manter a excelência em medicina do trabalho. Para isso conta com especialistas renomados e equipamentos de tecnologia de ponta presentes nos melhores centros médicos de saúde ocupacional do mundo.

Nova call-to-action

 

 

New Call-to-action

Newsletter

Posts Recentes